segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Um tal seminário sobre as "SOMBRAS"

É claro que fica mais fácil entender o que é  um seminário sobre culinária. Você nem precisa de muita informação para saber se ele lhe interessa ou para decidir se vai ou não participar. Mas um seminário sobre as nossas "SOMBRAS" soa, no mínimo, estranho. Mais parece algo místico, além de muito subjetivo para um mundo permeado pelas coisas objetivas. 

Antes de continuar, cabe aqui uma ressalva: tudo que é objetivo, absolutamente tudo, tem sua origem no SUBJETIVO. 

E não é preciso ir longe para entender, pois tudo que vemos à nossa volta nasceu de uma ideia, de um pensamento, de um desejo. Até a decisão de ir a um seminário sobre culinária nasceu assim. Em outras palavras, sem o subjetivo não existe objetivo. 



Bem, mas afinal o que é essa história de "SOMBRAS" ?
Todos sabemos que o nosso "ego" é uma falsa identidade que assumimos e por detrás dele está uma parte significativa de quem realmente somos. Esse "lugar" escondido na nossa mente podemos chamar metaforicamente de SOMBRA. Em outras palavras, nossa SOMBRA é a parte que escondemos dos outros ou reprimimos em nós mesmos, seja porque não queremos assumir essa realidade, seja porque somos inconscientes de sua existência. 

Nossa SOMBRA exerce constante influência em nossos desejos, pensamentos e atitudes. Ela é a responsável por atrairmos aquilo que não queremos e por tomarmos muitas decisões inadequadas. Nela também se origina aquele sentimento de pressão por mudanças, assim como sensações de ser "um peixe fora d'água" e de ter muito "azar".

Então o que temos de prático a fazer?
Se nossa SOMBRA é algo que não queremos assumir ou de difícil acesso, é óbvio que teremos de trazê-la para dentro da nossa consciência. Isso significa assumi-la e sobretudo compreender o que vai nela, uma vez que, na verdade, vai em nós. Portanto, reconhecer o que vai na nossa SOMBRA é acima de tudo um exercício de autoconhecimento. Esse conhecimento nos ajuda a compreender coisas que pensamos e fazemos, além de perceber as razões pelas quais tomamos decisões ou temos atitudes que não nos trazem nenhum resultado satisfatório. É como descobrir que a resposta "certa" para você é diferente daquilo que aprendeu a pensar que era o "certo".

Quando reconhecemos nossa SOMBRAcomeçamos a tomar decisões mais compatíveis com quem somos e conseguimos traçar planos mais verdadeiros para a nossa vida. Isso requer esforço e com a ajuda de alguma técnica pode-se alcançar resultados surpreendentemente eficazes.

Enfim, tudo que realizamos nasce no subjetivo da nossa existência. Se você der as costas à sua SOMBRA, é o mesmo que negar uma parte de si mesmo. Mas não pense que isso fica assim. Quanto mais se distanciar de sua SOMBRA mais poderosa ela se tornará e mais pressão ela exercerá sobre você até que seja notada.


Cansei de ouvir pessoas que diziam se conhecerem bem e ficarem surpresas após aprenderem a travar contato com suas SOMBRAS. E como todos nós sabemos, para termos uma vida muito melhor é preciso em primeiro lugar conhecer bem a si mesmo.


Mas não é porque você está lendo este texto que já dá para afirmar que um seminário sobre as SOMBRAS é algo "palpável". Ele continua sendo subjetivo. Só que agora você já sabe que reconhecendo o que está na sua SOMBRA, tal conhecimento produzirá reflexos objetivos na sua vida. O que torna o processo semelhante ao que as pessoas almejam quando participam de um seminário sobre culinária. 


by Dalton Cortucci


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...