sábado, 4 de outubro de 2014

Invista no seu conhecimento interior.

Existe uma charada que diz:
"Qual é a última coisa que um peixe descobre durante toda a sua vida?"
Resposta: a águaUm peixe vive e se move na água, por isso a água torna-se invisível para ele. 

Essa pequena metáfora me serve para sugerir que a mesma coisa acontece conosco em relação à nossa personalidade, isto é, vivemos na companhia dela durante todo o tempo e por isso, praticamente, não a percebemos.

Em outras palavras, não percebemos no dia a dia nossos padrões de pensamento e de comportamento, tornando nossas ações previsíveis na maioria do tempo.

O fato é que justamente por não percebermos a nossa personalidade é que temos dificuldade de administrar muitas situações que nos aparecem. Algumas são até diárias, como por exemplo, quando estas se apresentam em nosso trabalho ou dentro da nossa própria casa. 

Fazemos as mesmas coisas o tempo todo e por isso colhemos sempre os mesmos resultados. E fazemos tudo igual, justamente porque não percebemos aquilo que fazemos.

Se por um lado somos cegos de nossa personalidade, a situação fica ainda pior quando alguma pessoa nos aponta algo errado naquilo que fazemos. Mesmo que seja para nos ajudar, imediatamente nos sentimos ofendidos e rejeitamos a crítica - aliás, quem você conhece que as recebe bem?

Agora observe o tamanho do impasse: 
se não percebemos o que fazemos de errado e ainda não aceitamos que alguém nos aponte um erro, então só nos resta ficarmos do jeito que estamos. Essa conclusão é o mesmo que dizer que somos o nosso próprio carcereiro da prisão em que nos metemos.

A ideia que quero passar é que investir no conhecimento de nosso interior para ganharmos consciência de como funcionamos é a chave de saída para aquilo que desejamos na vida. 

Pode ser que esse conhecimento não interesse a você porque acredita que não faça diferença em seus objetivos profissionais e pessoais. Então eu peço que avalie aquela mudança que deseja fazer em sua vida e pergunte-se por qual motivo ela ainda não aconteceu. Talvez você até tenha a resposta, mas não consegue sair do lugar porque não sabe como fazer. Então voltamos ao ponto inicial, porque não saber como fazer é sinal de que você não conhece o potencial de sua própria competência.

Enfim, mudanças precisam que algo novo seja feito e muitas vezes isso não acontece porque temos vícios emocionais e comportamentais. Então a única saída é mergulhar dentro de nós mesmos para entendermos como funcionamos, e de posse desse conhecimento achar o caminho para sair das nossas próprias armadilhas.

Talvez você ache isso muito trabalhoso e subjetivo, mas tenho certeza que conhece alguém que desistiu de um objetivo por se sentir incapaz de superar um obstáculo, mesmo com os outros lhe dizendo como fazer. Em outras palavras, a origem do obstáculo estava dentro e não fora.

Para concluir, faça um grande favor a si mesmo não perdendo de vista a sua personalidade. Use para isso o Coaching, o Eneagrama, uma terapia, ou qualquer outro método, mas invista em autoconhecimento para saber o que fazer com seu tempo, seu dinheiro, sua carreira e, principalmente, suas emoções. 

E faça mais um favor a si mesmo não adiando mais essa tarefa, porque isso pode significar que tudo que almeja seja adiado também.

By Dalton Cortucci


Leve para sua empresa ou instituição uma de nossas palestras ou workshops sobre Inteligência Emocional, Eneagrama e Coaching.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...